Topo
Patricia Lobaccaro

Patricia Lobaccaro

Categorias

Histórico

Lucro x Propósito

Patricia Lobaccaro

01/10/2019 08h00

Reflexão sobre o papel das empresas na sociedade

Na semana passada tive oportunidade de participar como convidada da 11ª reunião do Conselho Consultivo Internacional da Fundação Dom Cabral. O encontro reuniu 60 pessoas de mais de 20 países para discutir como as empresas podem conciliar performance (lucro, crescimento, margem, competitividade) e progresso (prosperidade e bem-estar social, inclusão e respeito ao meio ambiente e recursos naturais).

A Fundação Dom Cabral é considerada uma das 10 melhores escolas de educação executiva do mundo e forma 25.000 líderes empresariais anualmente. Fiquei impressionada com o cuidado com que a Fundação organizou o encontro e a preocupação em como continuar aprimorando o currículo seguindo tendências globais, de maneira a contribuir para o desenvolvimento econômico do Brasil com respeito aos recursos naturais e prosperidade social.

O pano de fundo das discussões sobre alinhamento entre performance e progresso foram as recentes tragédias das mineradoras em Minas Gerais, que causaram graves danos ambientais e perdas humanas. A Fundação organizou vista a Paracatu de Baixo, onde participantes da reunião puderam ouvir pessoas atingidas diretamente pelo desastre e entender os efeitos da tragédia quase quatro anos depois. O estado de Minas Gerais e a econômica brasileira dependem da mineração. Mas acidentes como esses não podem mais ser tolerados. Para evitar riscos de novos desastres humanitários e ambientais, é necessário refletir: o que precisa mudar no "mindset" empresarial? O que é preciso mudar na educação corporativa?

Recentemente um grupo das 200 maiores empresas do EUA , o The Business Roundtable, publicou um comunicado dizendo que o objetivo principal de uma empresa não deveria ser somente gerar lucro aos seus acionistas, mas também gerar valor para todos os "stakeholders", o que inclui funcionários, clientes e fornecedores, além de promover práticas sustentáveis e  fomentar diversidade, inclusão e respeito. Esse comunicado foi um marco importante para o setor corporativo, marcando um início de mudança de mentalidade, mas está muito longe de ser unânime. Muitos empresários responderam com ceticismo.

Por outro lado, muitas empresas já chegaram à conclusão de que, sem propósito, respeito ao meio ambiente e políticas inclusivas, será difícil recrutar talentos das novas gerações. As novas gerações também tenderão a consumir produtos de marcas socialmente inclusivas e que respeitam o meio ambiente, que abraçam transparência e boas práticas de governança.

As lideranças empresariais precisam estar preparadas para essa nova era, assim como as escolas de negócios têm enorme responsabilidade em aprimorar o curriculum que forma esses líderes.

As práticas de responsabilidade social corporativa precisam ser aprimoradas, e empresas precisam melhorar a forma com que interagem com as comunidades onde estão inseridas. É necessário saber ouvir.

Esse é um momento em que empresas estão começando a entender que lucro e propósito não são forças opostas. Melhores condições de trabalho podem significar funcionários mais produtivos, produtos que respeitam o meio ambiente podem levar a aumento nas vendas, e propósito faz sentido.

Sobre a Autora

Patricia Lobaccaro construiu carreira no campo do investimento social, articulando redes e iniciativas para fortalecer projetos transformadores no Brasil. Foi presidente e CEO da BrazilFoundation de 2010 a 2019, mobilizando mais de 35 milhões de dólares em apoio a mais de 500 organizações da sociedade civil no Brasil. Atualmente Patricia atua como consultora no setor social e faz parte do conselho de instituições sem fins lucrativos. É formada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo e fez curso de gestão em non-profits em Harvard.

Sobre o Blog

A palavra filantropia tem origem grega e vem das expressões philos, que significa “amor”, e anthropos, que significa “ser humano”, ou seja, amor ao ser humano ou amor à humanidade. A expressão carrega em sua origem a intenção de ajudar ao próximo, “fazer o bem” e doar. Este blog é um convite para um cafezinho e um bate-papo sobre filantropia e impacto socioambiental. Tem como objetivo contar histórias de empreendedores sociais, filantropos e pessoas comuns impactando positivamente comunidades ao redor do Brasil e do mundo. E, por meio dessas histórias, inspirar mais pessoas a agirem por um mundo melhor.

Mais Patricia Lobaccaro